Notícias curtas
Fazer um tour
Compartilhar
!

Usuários poderosos do Facebook tem migrado para o Twitter e Google+


Sean Parker, co-fundador da Napster, teve algumas palavras duras para dizer à sua rede social favorita: Seu problema não é a privacidade, mas sim o fato de alguns dos seus usuários mais importantes estarem deixando o Facebook para outros serviços.
“A ameaça para o Facebook é que os usuários podem estar indo para o Twitter e para o Google+”, disse Parker à Web 2.0 Summit. Eles estão saindo, porque o Facebook não está dando meios suficientes para gerir o excesso de informações.
Parker também defendeu a decisão do Spotify de integrar-se ao serviço de música com o Facebook. “Ele dá ao Spotify o acesso de aproximadamente 800 milhões de usuários do Facebook”, disse ele em uma entrevista com John Battelle da Federated Media.
Battelle continua na linha do Facebook, pedindo a Parker que ele pense no argumento de que o Facebook é percebido como sendo um “pouco assustador”. Depois de tentar se esquivar da questão – e apontando que ele é um grande acionista do Facebook – Parker oferece a seguinte resposta. “Olha, assustador não é algo bom, mas também não é ruim”. “O assustador hoje pode ser o necessário de amanhã”.
Parker também tinha algumas palavras duras para as gravadoras, argumentando que as bandas podem simplismente ignorá-los. “Agora você pode ser um mestre de seu próprio destino”, disse ele. “Eu não sei por que você faria inscrição numa gravadora”.
A menos que eles precisem desesperadamente de um avanço, Parker acredita, que as bandas estão em melhor situação por conta própria. Ela pediu desculpas aos seus amigos na indústria fonográfica, mas ofereceu o crescimento a longo prazo da banda indie Foster The People, como um excelente exemplo.
O argumento de PArker: A revolução digital tem removido as barreiras para compartilhar música. Não tem custo extra para criar uma outra cópia de uma música é mais fácil do que nunca. O resultado é que os rótulos estão atrasados porque têm níveis de burocracia e protocolos que não precisam mais. Bandas estão respondendo usando meis de distribuição (tais como Spotify), a fim de cuidar de seus próprios destinos.
Finalmente, Parker tentou esclarecer a controvérsia sobre se ele era um dos co-fundadores do Napster ou um empregado da primeira geração. “Eu sou um co-fundador”, disse ele em resposta.  Ele explicou que foi uma das três primeiras pessoas a praticarem ações para a fundação, quando a empresa foi incorporada. [via Mashable]


Rodriggo Dell · Iago Bruno Rede Social Beta © 2014 · Termos · Privacidade · Equipe · Contato · Sobre · Participar